Possibilidades

BLOG DE PSICANÁLISE

Mulheres de mais 728536

A segunda, o ideal da boa família — como se ter o mesmo nome do parceiro simbolizasse compromisso e unisse o casal e filhos em potencial como uma coisa só. Esses elementos, diz Duncan, passaram a fazer parte do pacote de casamento ideal para muitos casais. Até mesmo algumas das que inicialmente se recusaram a adotar o sobrenome do marido mudaram sua identidade após o parto. Ela acreditava que isso pudesse evitar também problemas administrativos, por exemplo, ao viajar para o exterior com o pequeno. Desprezo ao feminismo? Mas elas abriram esse precedente no início, dizendo: 'Você é mais importante do que eu, você vem primeiro e eu em segundo', argumenta. Eu discordo.

Homens mais novos mulheres mais velhas: uma feliz combinação

RESUMO O presente artigo buscou compreender quanto a independência financeira feminina influencia na vida amorosa das mulheres, considerando que ocorreram mudanças significativas nos papéis exercidos por elas com a conquista do mercado de trabalho. Para tanto, foi realizado estudo de caso coletivo com cinco mulheres financeiramente independentes, com idade entre trinta e quarenta e quinto anos, através de entrevistas individuais, com roteiros semiestruturados. Palavras-chave: Relacionamentos amorosos, Mulheres, Independência financeira. O objetivo principal a que se destinou esta pesquisa foi compreender como a independência financeira feminina influencia na vida amorosa das mulheres. A partir da pré-história, quando o homem deixa de ser caçador para se tornar pastor, surge a arvicultura e com ela as tarefas das mulheres passam a se multiplicar e tornar-se obrigações Lins, Relacionamentos amorosos Nesta pesquisa foi escolhido o termo relacionamentos amorosos por acreditar que abrange de forma adequada, no contexto contemporâneo, as formas de relacionamento entre homens e mulheres. Mas, torna-se importante entender quando e de que forma o amor entrou em cena na tradição da sociedade ocidental.

Tradições patriarcais

Segundo a psicóloga, Denise Miranda de Figueiredo, fundadora do Instituto do Casal, a proximidade da terceira idade leva a pessoa a fazer um balanço de sua vida e pensar sobre o que fez, deixou de fazer e o que ainda gostaria de realizar. Tentei diversas alterativas antes. Eu estava decidida, conta. Tive o suporte de uma terapeuta e agora sinto a liberdade de ser eu mesma. Quero ser corajosa para enfrentar o que o mundo tem para me oferecer e buscar minha felicidade em vida, afirma ela. Elas desejam se defender mais, ter mais tempo para si mesmas. Hoje em dia, uma mulher de mais de 50 anos, pode ter uma vida plena, inclusive no âmbito amoroso e sexual, explica Mirian. Depois do divórcio, os caminhos também tendem a ser diferentes.

Leave a Reply

Your email address will not be published.